Entrevista a António Costa - Presidente da Câmara Municipal de Lisboa

13 de Fevereiro de 2012
Entrevista a António Costa - Presidente da Câmara Municipal de Lisboa

A Junta de Freguesia continua a defender a pluralidade de opiniões. O Boletim Informativo continua a ser a prova dessa postura. Nesta edição temos uma entrevista ao atual Presidente da Câmara Municipal de Lisboa que aqui tem "espaço" para dar conta de algumas das suas ideias e opiniões para Lisboa e para Carnide.

Como tem sido para si o exercício do cargo de Presidente da Câmara Municipal de Lisboa?
Quando avancei com a candidatura para a Câmara de Lisboa em 2007 lembro-me de ter dito publicamente: "Deixei o Governo para fazer em Lisboa o que é necessário fazer". O exercício do cargo de presidente da Câmara de Lisboa tem sido, por isso, o desafio diário da gestão do quotidiano de uma cidade como Lisboa com as suas especificidades e idiossincrasias , as suas contradições e os seus projectos mobilizadores.  Isto, sem perder de vista a necessidade de pensar uma estratégia para o seu futuro.

Fazer o que é preciso tem sido também,  exercer o poder com transparência, em constante diálogo com os cidadãos, incentivando múltiplas formas de participação e submetendo as decisões de fundo ao escrutínio da opinião pública e dos moradores e utilizadores de Lisboa.  Mas, este não tem sido o exercício de um homem só! O trabalho em equipa é essencial. E, sobre essa matéria, posso dizer que tenho contado com uma equipa forte e experiente.

Quais as maiores dificuldades que encontrou no exercício do seu cargo?
Não sou de me queixar ou vitimizar. Para mim, as dificuldades podem ser verdadeiras oportunidades. Ao longo da minha vida, nos vários cargos que tenho exercido, tenho tido essa postura.

Em Lisboa e, neste caso, as funções de autarca não foram excepção. Cheguei à CML em 2007, em plena crise de poder e, juntamente com a equipa que liderei, conseguimos dar a volta ao texto e pusemos o município a funcionar.

2009, ano em que Lisboa e os lisboetas nos deram a maioria absoluta avizinhavam-se já tempos difíceis. Na altura, já pairava o famigerado espectro da crise. Lisboa e o seu Município não escaparam às perspectivas pessimistas. Mas, à custa de uma gestão rigorosa e criteriosa conseguimos ultrapassar os obstáculos. O ano que agora findou não perspectiva uma conjuntura fácil para os meses que se avizinham. O corte abrupto sem precedentes numa das principais fontes de receitas da CML (a derrama) registado em Agosto de 2011, complementado com uma atmosfera recessiva, condiciona fortemente a nossa actuação, sobretudo, ao nível da gestão de meios e recursos. Porém, este cenário negro não nos tolhe nem nos impede de avançar com o nosso projecto de cidade. Uma cidade de e para as pessoas.

Pensando nelas é que, por isso mesmo, não deixamos de fazer obras de requalificação no Intendente, na Ribeira das Naus, para devolver a frente de rio à cidade, plantamos mais árvores em Lisboa ou reabilitamos o Capitólio, no Parque Mayer.

Como vê o papel das Freguesias na gestão da Cidade?
As freguesias são os órgãos autárquicos mais próximos dos cidadãos. O contacto e o escrutínio diário por parte dos eleitores permitem aos eleitos terem uma visão em tempo real dos problemas, ao mesmo tempo que a resposta que dão tem de ser rápida e eficaz. A reorganização dos serviços da CML e a consequente descentralização de algumas funções hoje desempenhadas pelo município para as freguesias corporizam este princípio, nomeadamente nas áreas da varredura e lavagem de ruas As freguesias são pois o parceiro inseparável da CML no trabalho diário de servir, bem , os cidadãos. Freguesias mais fortes serão por isso parceiros mais fortes. Daí acreditar que a reforma administrativa que está neste momento na Assembleia da República será determinante para a melhoria da qualidade de vida de quem trabalha, habita ou visita Lisboa, pois representa um reforço muito importante das competências e meios das freguesias.

Como tem sido a relação com a Junta de Freguesia de Carnide?
Tem dias... Mas, o diálogo tem sido fundamental em projectos marcantes para a freguesia como foi o caso recente da construção da EB Aida Vieira, ou a requalificação do espaço público da freguesia. Veja-se os casos das intervenções de requalificação do espaço público da freguesia, nomeadamente a que está em curso no Largo das Esplanadas, na Quinta Luz, outra na Horta Nova e ainda a que já terminou na Praça Rocha Martins.

Que obras ou projectos desenvolvidos ou em desenvolvimento para a Freguesia de Carnide gostaria de destacar?
Sem dúvida, o projecto do QREN Padre Cruz. Uma das intervenções de fundo que irá marcar a face desta freguesia. O projecto envolve a construção de 908 fogos, dos quais 783 para realojamento e prevê igualmente a construção de uma residência assistida para idosos, uma creche e espaços para novas actividades económicas de apoio ao auto-emprego. Destaco igualmente o Plano de Urbanização Carnide-Luz, instrumento essencial para a boa gestão do território da freguesia. Não posso deixar de referir também dois projectos distinguidos por duas recentes edições do Orçamento Participativo: as requalificações do Largo do Coreto e Quinta do Bom Nome. Obviamente, também não posso deixar de referir uma obra que arrancará em breve: a requalificação do Jardim Teixeira Rebelo (Largo da Luz) e sua envolvente, compatibilizando todos os usos que se efectuam ao longo do ano, com especial relevo para a Feira da Luz. Esta obra prevê, entre outras intervenções, a  recuperação da massa vegetal, de equipamento e do mobiliário urbano bem como do sistema de iluminação.

Lisboa é?...
É a cidade onde nasci e cresci. Lisboa é o meu trabalho e o meu desígnio. É a minha casa e a de mais meio milhão de Lisboetas. É o sítio onde gosto sempre de voltar, depois de cada viagem. Um sítio único. Com um rio único. É o local de muitas e desvairadas gentes. Lisboa é um mundo.

Carnide é?...
Carnide é a freguesia onde nasceu a minha mulher, onde vivi quando casei e onde o meu filho viveu os seus primeiros meses. Carnide é história, tradição e modernidade. Uma freguesia com grandes potencialidades, atractiva para muitas das novas famílias que optaram por morar em Lisboa. É também uma freguesia onde o Município aposta fortemente para a localização e fomento das actividades ligadas às novas tecnologias e indústrias limpas, como é o caso do Pólo Tecnológico de Lisboa. Mais prosaicamente, Carnide é um dos locais de Lisboa onde existem alguns dos seus melhores restaurantes e onde o património convive bem com a contemporaneidade.

Partilhar