Carnide quer que terreno da Feira Popular seja “oportunidade de desenvolvimento”

13 de Julho de 2022
Carnide quer que terreno da Feira Popular seja “oportunidade de desenvolvimento”

O Presidente da Junta de Freguesia de Carnide quer que os terrenos até agora projectados para a Feira Popular sejam “uma grande oportunidade de desenvolvimento local” para a freguesia. A posição de Fábio Sousa surge após a confirmação da autarquia de Lisboa de abandonar o antigo projecto para a zona, como estava previsto no programa eleitoral do actual Presidente da Câmara Municipal de Lisboa.

Em cima da mesa está o projecto de um novo parque verde, com equipamentos para usufruto da população. O Presidente da Junta de Freguesia de Carnide, não se opõe à ideia e realça que o importante é que o terreno represente o desenvolvimento da freguesia e traga contrapartidas reais para os moradores. Por isso, garante, Carnide “não está cá para complicar”.

Actualmente, os terrenos, com cerca de 10 hectares, estão numa “situação de completo abandono” e segundo Fábio Sousa representam “um perigo”, apontando também para o facto das obras que estavam a decorrer nas imediações, com a plantação de “uma quantidade gigante de árvores”, estarem também paradas “há cerca de um ano e o empreiteiro deixou várias caixas com materiais inflamáveis”.

Assim, a Junta de Freguesia de Carnide garante “querer fazer parte da solução, nunca do problema”, mas que não pode intervir no terreno por não ser a sua responsabilidade. A freguesia de Carnide colocou à disposição da Câmara Municipal de Lisboa a sua equipa de jardineiros e mostrou-se disponível para dinamizar programas de ocupação de jovens nas férias que contribuam para o aproveitamento destes terrenos. Em recentes declarações à Rádio Renascença, Carlos Moedas confirmou que o seu projecto para um Parque Urbano vai mesmo avançar em detrimento da Feira Popular, sem adiantar mais detalhes.

 

Imagem: Reinaldo Rodrigues/Arquivo Global Imagens

Partilhar