Carnide opta por estar ao lado dos trabalhadores

9 de Março de 2014
Carnide opta por estar ao lado dos trabalhadores

FREGUESIA DE CARNIDE NÃO VAI ESTAR PRESENTE NA CERIMÓNIA DE ASSINATURA DOS AUTOS DE TRANSFERÊNCIA DE COMPETÊNCIAS!
FREGUESIA DE CARNIDE OPTA POR ESTAR AO LADO DOS TRABALHADORES!

Estando agendada para esta 2ª feira a cerimónia de assinatura dos autos de transferência de competências entre o Município de Lisboa e as Freguesias da Cidade, os eleitos da Freguesia de Carnide decidiram não comparecer na referida cerimónia.
Como é do conhecimento geral, os órgãos autárquicos da Freguesia de Carnide sempre manifestaram a sua profunda discordância com todo este processo, desde a intenção concretizada de extinção de 29 freguesias na Cidade, até ao esvaziamento de responsabilidades por parte do Município e por consequência o desmantelamento de grande parte dos serviços municipais, como são os casos da Higiene Urbana e da rede de Bibliotecas.
Os eleitos locais da Freguesia de Carnide, sempre em estreita ligação com os moradores, os dirigentes associativos locais e sobretudo com os trabalhadores da autarquia, há 32 anos que desenvolvem um projeto autárquico com provas dadas e reconhecido. Um projeto autárquico assente na proximidade, na gestão participada, no rigor, no trabalho, na competência e que a população tem reconhecido e sistematicamente reforçado o seu apoio.
Ao longo destes 32 anos de gestão CDU, a Junta de Freguesia de Carnide nunca deixou de assumir as suas responsabilidades e competências. A Freguesia de Carnide sempre assinou com o Município de Lisboa protocolos de descentralização de competências, sendo, inclusive, das freguesias da Cidade com maior número de competências descentralizadas.
Mas o processo que atualmente se vive na Cidade de Lisboa nada tem a ver com um verdadeiro processo de descentralização de competências, envolvendo os principais parceiros e sobretudo num profundo respeito com os trabalhadores, quer das Freguesias, quer do Município.
A reforma administrativa da cidade de Lisboa com a legislação aprovada na Assembleia da República (Lei 56/2012), não assegurou o aumento da capacidade de gestão das Juntas de Freguesia, permitindo apenas um eleito a tempo inteiro, impossibilitando uma gestão autónoma de serviços essenciais à Cidade.
Estamos perante o esvaziamento de responsabilidades que a Câmara assumiu ao longo de décadas e é muito duvidoso que esta situação resulte melhor.
O desmantelamento de serviços tão importantes com os que agora se pretende transferir, mostram bem que a intenção desta maioria, não é o aproximar o poder da população, ao mesmo tempo que promove a perda de capacidade da cidade de aproveitar as sinergias resultantes dos meios ao seu dispor.
Os eleitos locais da Freguesia de Carnide estiveram contra as propostas que materializam a transferência de competências e de trabalhadores para as freguesias porque, defendem a manutenção desses mesmos serviços no município assim como vínculo dos trabalhadores.
A Junta de Freguesia de Carnide não pode deixar de lamentar a forma como a actual maioria na Câmara Municipal de Lisboa tratou e continua a tratar os trabalhadores do Município que agora são alvo de transferência. Uma transferência sem diálogo, sem ouvir e sem ter em conta a opinião dos trabalhadores. Até hoje os trabalhadores das Bibliotecas, dos Jardins de Infância e dos Postos de Limpeza continuam a aguardar uma palavra por parte da maioria.
Assim sendo, os eleitos locais da Freguesia de Carnide decidiram não comparecer à Assinatura dos Autos de Transferência na Sessão Solene, agendada pela Câmara Municipal de Lisboa, para dia 10 de Março às 11h00.
Uma decisão em coerência com todas as posições anteriormente assumidas e pelo facto de a cerimónia coincidir com a recepção dos trabalhadores transferidos do Município.
Os eleitos da Freguesia de Carnide, mais uma vez, optam por estar ao lado dos trabalhadores na sua primeira manhã de trabalho na Freguesia em detrimento de um ato meramente administrativo e de propaganda politica.
Esta decisão dos eleitos de Carnide não coloca em causa a assinatura do auto de transferência por parte da Junta de Freguesia de Carnide.

Partilhar